terça-feira, 9 de março de 2010

Carbono Musical


Amor, doce sinfonia que toca sempre em unissínuo. Poucas vezes para si, comumente para o para o próximo. Seu início tem fina beleza. Suas notas nunca repetidas. Mas com o tempo a mão se cansa, o ritmo se confunde, a pauta já não é legivel. Ahhh e que triste melodia então. Feia. Fracassada. Simplesmente triste.
Nota a nota ela segue rumo a fim inevitável. O fogo queima as partituras e a música cessa. Vento vem e espalha as cinzas. Leva ao mundo a antiga canção inicial. Sem erros ou notas iguais. Impregna de carbono musical os locais que lhes eram favoritos, suas palavras secretas, suas memórias.
Visite aquele banco antigo, aquela rua em que sempre passavam, o local do primeiro beijo.
Vai escutar aquela bela melodia, que já não traz mais alegria.

16 comentários:

  1. Nossa, que lindo... O texto e o blog como um todo (beleza de trabalho fotográfico, hein?) - voltarei outras vezes para desfrutar e sussurrar mais um pouquinho, ou muitinho, quem sabe ;) Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Por que tem que ser assim?

    Tanta dor trazida pelo amor?

    Seria bem melhor poder

    Continuar a compor

    Mudar a melodia

    Quem sabe ele voltaria

    Mas nada é tão facil

    Que se resolva apenas num abraço

    Palavras ferem

    Bocas machucam

    Olhos choram...

    Coração sangra...

    E a vida tem que continuar....

    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Ah, essas memórias...

    Gostei muito do jeito que escreves, obrigada pela visita, volte sempre! Seguirei sim... ;**

    ResponderExcluir
  4. ah sim, o amor...e sua definição foi tãoa certada. Achei lindo comparar com música, que belo! E sabe, as vezes as melodias tristes são as mais bonitas...é...são sim...ou as saudosas...

    ;)

    ResponderExcluir
  5. Oii!
    nossa, eu adorei seu blog também!
    e seus textos são óótimos.
    vou ler sempre.
    haha
    beijos pra você. ♥

    ResponderExcluir
  6. Belo texto.

    Engraçado,uma das minhas postagens mais recentes foi um conto com uma temática bastante parecida com a do seu ensaio.

    Adorei o blog. Não só vou seguir,como voltarei sempre.

    ResponderExcluir
  7. Convite aceito!! Aqui estou para prestigiar seu belo trabalho literário. Gostei do que ví aqui... bem que vc disse que eu gostaria!! hehe

    Estou seguindo e pode ter certeza que sempre voltarei.

    Beijos sangrentos da vampira Laysha.

    ResponderExcluir
  8. olá kerido!!!
    passando p agradecer a visita é bom saber ke gostou do ke escrevo, é tão dificil né?! kkk
    estou iniciando, ai é pior ainda, mas vc leva jeito p isso não é? muito bom seus textos, gostei muito, embora triste, mas, o amor tem seu lado de tristeza mesmo, alegria e descontentamento, impossível de controlar.
    Muito bom te conhecer e ser seguida por vc, expérth no assunto!
    bjoo

    ResponderExcluir
  9. Lembrou-me uns dias passados, uns amigos, uns livros e músicas também.

    ResponderExcluir
  10. ' Gostei !
    é uma coisa verdadeira .. da pra sentir só de ler!

    rsrs.. brigada por me seguir ;D
    estou seguindo também!

    ;*

    ResponderExcluir
  11. "Vai escutar aquela bela melodia, que já não traz mais alegria." Esse foi O final, adorei *-*

    ResponderExcluir
  12. Hey Pierrot fantasista, agradeço o carinho e a visita.. ainda acredito que partituras possam ser indestrutíveis, e as melodias, eternizadas. Quero acreditar!

    Lindas palavras e post... vou seguindo por aqui!

    Abraços,

    Letícia Mariano/
    www.leticia-alvares.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. oi, to seguindo... parabéns pelo blog... e por morar na cidade maravilhosa! :)

    beijao

    ResponderExcluir
  14. tbm gostei muito do seu blog
    passo aqui mais vezes e com mais tempo
    seguindo vc tbm
    beijos
    agradecidos
    até a proxima!
    fique na paz!
    muito bom os textos

    ResponderExcluir
  15. Preciso comentar essa?

    *simplesmente perfeito*

    ResponderExcluir
  16. memórias...
    memórias...

    O Blog como um todo esta de parabéns!
    voltarei mais vezes!

    ResponderExcluir

Queres sussurar algo ao Pierrot? Vá em frente, mas talvez ele esteja demasiadamente imerso na própria loucura para escutar suas palavras sibiladas...