quinta-feira, 21 de maio de 2009

Ela Estava Ali



Ele se sentava no canto da sala, tentava estudar, o televisor falava alto. Ela ia ao quarto, sentava à beira da janela, a briga na sala ia alta. Ele corria ao longo do dia. Colégios, cursos, sociais, problemas e soluções. O dia dela ia atrapalhado. Namorados, família, brigas, futuro, preocupações e decisões.

Em suas folgas ele gostava de sair com os amigos, que entre piadas internas e sorrisos conhecidos o embriagavam de alegria. Sequer pensava na enorme dor que viria ao retomar o cotidiano. Não era adepto das festas bagunçadas e barulhentas, porém, jamais recusava uma quando convidado. Então ele ria e se divertia, aproveitando em muito aquele curto pedaço de tempo.
Ela gostava das festas. Uma assídua visitante de ambientes fechados; onde a fumaça ia espessa e os risos vinham altos. Sentava rindo, enquanto suas amigas se divertiam instigando rapazes. Gostava daquela agitação, mas nunca em exagero. Saía sempre acompanhada. Poucas vezes progamava algo, costumava ir onde fosse levada. Bastava estar com alguém.

E nesse dia-a-dia pensamentas se esbarravam, olhares se cruzavam, momentos eram divididos. Sem nunca parar para se conhecer eles seguiam. Ele subia escadas apressado e ela descia por corrimões polidos. Ele corria, ela ria. Tentavam esquecer as obrigações. Cada qual a seu modo, cada um a seu estilo.

Quando a noite caía e ele chegava em casa, repousava os livros sobre a mesa e se jogava sobre o sofá. Dali via a janela. O mar quebrava perto, a cortina balançava, deixando o cômodo se iluminar com a luz da lua alta. Imaginava se alguém ainda observava aquela lua. Talvez ninguém mais soubesse que ela estava ali.

Assim que a noite terminava e ela voltava para o lar, tomava uma ducha e se deitava. No teto do quarto, balançava uma lua de brinquedo. Observando aquele brilhante enfeite, imaginava a original lá fora, que sempre vinha, iluminando a noite daqueles que ainda procuravam por ela.

E ao fechar os olhos, pensavam um no outro, esperando um dia finalmente se conhecerem.

6 comentários:

  1. Olá meu queridoooooooooooooo, passando pra te desejar um excelente fds! A expectativa ás vezes entristece né... do encontro então... Bjinhos da Madrasta!

    ResponderExcluir
  2. triste infortúnio ver que a vida com alguém pra dar sentido a ela está diante de nós e não a vemos...

    saudades dos seus posts incríveis!

    Blog Suicide Virgin

    ResponderExcluir
  3. Esperar, esperar... A vida inteira por alguém que talvez nunca chegue a existir.

    Ótimo testo e Maravilhoso Blog.

    ResponderExcluir
  4. sem comentários sobre esse. Eu espero tanto po alguém também...alguém que as vezes já até cruzou comigo por ai...ahhh que lindo!

    ResponderExcluir

Queres sussurar algo ao Pierrot? Vá em frente, mas talvez ele esteja demasiadamente imerso na própria loucura para escutar suas palavras sibiladas...