sábado, 7 de fevereiro de 2009

Seu Perfume


Sentado ao lado da cama eu a observo ainda dormindo. Serena e bela. Seu perfume suave está por todo o quarto, seu perfume está por todo meu corpo. Ela acorda devagar, abre os olhos e sorri para mim. Eu sorrio de volta. Ela me abraça por trás e me beija no rosto. Seu perfume... Sinto seu perfume, sinto seu cabelo em minha nuca, sinto ela. Sussurro um eu te amo.
Saio para trabalhar. Quando volto ela está na sala tomando uma chícara de chá e lendo um livro. Sinto seu perfume. Ela está linda, ela sempre está linda. Me lança aquele sorriso que só ela tem, aquele sorriso que me faz querer amá-la mais do que se pode compreender. Sorrio de volta e sento ao seu lado.
Saio do banho e preparo a janta. Ela aparece em seu robe branco secando o cabelo. Ri do fato de eu ser o cozinheiro da casa. Sirvo a janta. Ela segura meu rosto com as mãos e me beija na testa. Como é bom seu perfume, como é maravilhosa a sensação de seus cabelos lambendo minha face. Quero abraçá-la e beijá-la ali mesmo. Digo que a amo.
Termino a janta e sigo até o quarto. Lá está ela. Deitada de bruços, com a cabeça apoiada nos braços, me observando serenamente. Sento na beirada da cama. Ela me abraça e me beija a bochecha. Fecho os olhos e sinto seu perfume. Digo que a amo. Digo que a amo mesmo sabendo que ela não está ali. Digo que a amo mesmo sabendo que ela se foi a muito tempo. Digo que a amo e reconheço que o erro foi meu. Digo que apenas queria protegê-la. Deixo cair a cabeça nas mãos. Não me lembro mais como se chora.

10 comentários:

  1. É só entrar no msn e eu te passo aquele texto. Tá escrevendo muito, rapaz. Quando já tiver uns cem desses pode compilar e fazer um livro.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada por comentar minhas humildes poesias. Adorei seus contos e ensaios. Tanto os contos brancos quanto os negros tem uma delicadeza e uma beleza melancólica que nos envolve numa noite morna e angustiantemente acolhedora. Muito bom! Beijos, e estou acompanhando seu blog ^^

    ResponderExcluir
  3. E simplesmente adorei alguns dos textos que li por aqui! São maravilhosos .. me tornei seguidora e pode contar que serei assídua.

    Sobre o conto, muito bom. Por muitas vezes as lembranças são tão vivas que meus olhos são capazes de vizualizar a pessoa e meu corpo refaz cada movimento, mas é só piscar e tudo volta à dura realidade .. e como você escreveu, às vezes esqueço até como se chora, prefiro estar no meu mundo imaginário, mesmo sorrindo e dizendo "eu te amo" para o nada.

    ResponderExcluir
  4. Favoritei o seu blog e só tenho a agradecer pelo inteligente comentário no meu.
    Você possui belos textos.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, MUITO obrigada pelo comentário no meu blog, belas palavras. E você escreve muito. Sucesso.

    ResponderExcluir
  6. Também não me lembro mais como se chora... Gostei!

    ResponderExcluir
  7. Gostei da forma como escreve. Seus textos são intensos e ao mesmo tempo tem suavidade.
    Gostei muito do seu blog e passei a ser seguidora dele para facilitar meu retorno ok?
    Obrigada pelas belas palavras deixadas em meu blog e te confesso que me sinto ainda um bebê engatinhando nesta blogosfera meu caro!
    Vou errando aqui...acertando mais a frente e um
    dia eu chego lá!rsrs
    Beijos meu querido e ótimo Domingo pra você!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Edgard!

    Belo conto.
    Final perturbador, mas ainda assim, lindo!
    Parabéns.

    E obrigada pela visita ;)

    ResponderExcluir
  9. Isso nao é justo sabe!? HAUHSAUHSAU...vocÊ escreve muito bem! suas palavras usam e abusam da imaginaçao de quem le, e termina ao chao com os sentimentos do mesmo.
    MARAVILHOSO... nenhuma palavra a menos ou nenhuma palavra suficiente encontrada a mais para dizer sobre esses textos!

    ResponderExcluir
  10. Ah sim...mais um maravilhoso...desse jeito eu até fico envergonhada de deixar vc ler o que escrevo, ando ultimamente tão distante das palavras...parece que elas somem ou fogem...deve ser fase. Sinceramente eu adoro sua sensibilidade em cada conto, em cada palavra.Queria somente uma lasca do seu brilhantismo.

    ResponderExcluir

Queres sussurar algo ao Pierrot? Vá em frente, mas talvez ele esteja demasiadamente imerso na própria loucura para escutar suas palavras sibiladas...