segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Carne Cansada


Vivemos um dia por vez... será?
Há dias em que os raios da aurora parecem brilhantes demais. Ferem a vista de nossa criatura semi-viva caída sobre o leito. O corpo pesa e a cama nos agrilhoa. Ponteiros no relógio reclamam, ordenando que nos ergamos imediatamente. Não há tempo para repouso, as responsabilidades não esperam, construções sedentas por sua presença o querem de pé. As engrenagens dentadas da máquina ignoram o fato de seres carne cansada, ignoram o corpo pesado como pedra afundando no mar.
Um dia arrastado, os pés mal tocam o chão. Caminha em mundo distante, acorrentado à realidade pelos mesmos assuntos que o fazem levitar. Pensamentos arranham o corpo e sussurram arrepios.
Dias em que um banco esquecido no pomar seria o bastante. Dias em que ninguém parece se importar. Quando questionado sobre a triste feição, desvencilha-se logo com um "estava apenas pensando". Sorris na mesma alegria de uma hiena faminta.
Dias que são curados apenas com a fuga. Foges ao início e se deita novamente.
Dias em que não sonhas.

5 comentários:

  1. Eu leio sua mente? Ou você lê a minha? Serão ambos?

    "Dias em que não sonhas"

    Parabéns, outra vez.

    ResponderExcluir
  2. Haha. Dia 10 de março faço 18 anos...
    Mas minha mãe diz que tenho alma de 40.

    [Sim, ela é aquelas senhoras modernas :)]

    Posso ir mais adiante, e pedir que adicione meu email? Eu gostaria de 'descobrir' quem é.

    ResponderExcluir
  3. O caso pede medidas extremas, haha.

    mandou no email certo?

    [ariane_carreira@hotmail.com]

    ResponderExcluir
  4. Dias em que não se sonha, é tarde agora, são 2:30 da manhã, insônia me acompanha, prenúncio de dia cansado, esgotado... desejo de fugir, encontrar um repouso... talvez algum deserto à noite. Seu texto me lembra deserto à noite, por isso trouxe a minha fragrância para que não se perca caso queira encontrar o caminho de volta... um beijo, Pierrot, fique com o aroma de Afrodite nesta madrugada de ausência de sono e de sonhos...

    ResponderExcluir

Queres sussurar algo ao Pierrot? Vá em frente, mas talvez ele esteja demasiadamente imerso na própria loucura para escutar suas palavras sibiladas...